quinta-feira, 16 de julho de 2009

Primeiro dia sem orientador

Na quinta-feira fomos a campo sem a companhia do nosso orientador Renê e a Karol. O dia aqui em Autazes começa cedo e acaba cedo. A agência do banco abre às 8 e fecha ao meio-dia, ficando aberto somente os caixas eletrônicos. Assim, após o café-da-manhã, começamos a entrevistar alguns clientes do banco.

Com a permissão do gerente abordamos as pessoas que estavam utilizando os serviços do banco. Entrevistamos oito pessoas e evidenciamos que os repasses públicos e o funcionalismo público são de extrema relevância na economia local. Das oito pessoas entrevistadas, sete recebiam bolsa-família, aposentadoria, auxílio-doença ou eram funcionários públicos.

Por meio das entrevistas confirmamos que de fato a poupança e o seguro são pouco utilizados pelas pessoas. Nenhuma das oito pessoas utilizava esses serviços. Outro fato relevante é o grande número de empréstimos consignados para aposentados e servidores ente os entrevistados.

Dentre as entrevistas realizadas com os usuários do banco, a mais interessante para nosso trabalho foi com Udson, que trabalha no frigorífico da cidade, gostaria de ser plantador, mas encontra dificuldades no acesso ao crédito. A entrevista está na seção Tomadores de Microcrédito.

Conhecemos hoje outro restaurante na cidade, o Nova Opção. Já experimentamos uma grande variedade de peixes como Pacu, Pirarucu, Tambaqui e Tucunaré. Até o momento o Tambaqui foi eleito como o mais saboroso deles.

Pela tarde ainda visitamos o Sindicato Rural e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais. A reunião com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais nos fez refletir sobre alguns fatos negativos que ocorreram após a bancarização. Como exemplo é o endividamento dos aposentados que realizam vários empréstimos, e acabam comprometendo quase todo seu benefício mesmo a lei não permitindo que o endividamento dos aposentados passe de 30% da renda recebida. Além disso, foi citado que os aposentados sofrem diversas deduções devido a recebimento de cartõe e taxas relacionadas a serviços que eles não usufruem.

Seguem as entrevistas na seção OSCIPS e Associações.

A noite fomos em um arraial com danças típicas da etnia indígena mura, dentre outras. Vendia-se comidas típicas, como o Tacacá e o Pato no Tucupí. Estava bastante cheio e animado. O forró é a música mais tocada por aqui.






Um comentário:

  1. um nao sei oque é isso mas ja deu agua na boca rsrsrsrrsrs

    ResponderExcluir

Seguidores